Archive for Julho, 2010

pedra que canta .

30/07/2010

nossa humanidade enterrou o rio sob a pedra – a lápide sobre as quedas.

figura .

29/07/2010

eu era algo vivo quando você me segurava

como o vinho na taça.

padrão .

29/07/2010

quebrar paradigmas é mover-se em direção à liberdade.

momentâneo .

27/07/2010

– Você só pode estar brincando.

“Não” foi tudo o que ela disse e seguiu na vida, como quem segue sem saudade. uma banda e sua marchinha passaram, enquanto uma criança em outra rua rabiscava a calçada. e então percebi que a cidade tinha dado um passo.

vestígio .

27/07/2010

certas vezes enxergo-me como este animal apinhado em algum canto da sala; incerto, diminuto ante a visão do mundo. torno-me, então, uma coisa, um receio, esse resquício. a pequena visão não captura minha essência pequena, e que não basta, mas que sobrevive.

chance .

26/07/2010

não é exatamente o número de tentativas que conta para o sucesso, você precisa entender o jogo no qual está participando. você pode estar tentando uma loteria ou tirando cara-ou-coroa.

poço .

22/07/2010

com uma pá, a decisão é sua, se cava ou se tapa os buracos.

vida menor .

22/07/2010

e o pedaço que falta, eu tentei preencher com bebidas, livros, longas noites, bares e amigos – tentei completar com alguém. e nada se encaixou,  a vida continuou, mas um pouco menor.

postiço .

20/07/2010

não é necessariamente verdade aquilo que projeta algum traço de superioridade, pois, também, toda arrogância anseia em ser mais.

meia-luz .

20/07/2010

que nova paixão incendiará esta noite que insiste em não morrer?