Archive for Outubro, 2012

quantímetro .

16/10/2012

é grande de lá para cá o tempo que passa e o  futuro que se anuncia. Entre o fogo e o calor, essa distância próxima, mas que nunca cessa. Os versos são escritos e as palavras pronunciadas em cochichos para amigos em qualquer terra, a qualquer instante. Uma balada jaz no livro cerrado nunca cantada, virou história contada. Pouco foi escrito, muito há de ser. Palavra sem recalque que se derrama na brochura escancarada: há de vir. Segredo contado a luz baixa no quarto de verão: há de vir. Declaração deslavada em plena praça num dia útil abarrotado: já está feita. O que é falado, o que é escrito, o que se gesticula e o que se suspira, tome nota.